Home > DPOC

DPOC: O que é?

«Na actualidade, a sigla DPOC refere-se, de forma genérica, a duas doenças respiratórias habitualmente designadas por bronquite crónica e enfisema pulmonar»

| Professor Doutor Jorge Ferreira, Médico Especialista em Pneumologia

DPOC: O que é?

A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma doença respiratória progressiva, que resulta da obstrução das vias aéreas, e que pode manifestar-se através de tosse, expectoração, pieira, falta de ar, sensação de “aperto” torácico e outros sintomas.

O fumo de cigarro é a causa principal desta doença. Por esse motivo, a maioria das pessoas que sofrem de DPOC são fumadoras, ou foram fumadoras no passado. No entanto, a exposição prolongada à poluição do ar, substâncias químicas e outros irritantes pulmonares, pode também contribuir para o desenvolvimento de DPOC.

Na actualidade, a sigla DPOC refere-se, de forma genérica, a duas doenças respiratórias habitualmente designadas por bronquite crónica e enfisema pulmonar. Pode dizer-se, de certa forma, que a DPOC abrange num só termo estas duas situações, uma vez que apresentam causas comuns e coexistem habitualmente no mesmo doente.

A bronquite crónica está presente quando um doente apresenta tosse produtiva (com expectoração) na maioria dos dias, pelo menos durante três meses por ano, em dois anos consecutivos. No entanto, têm de ser excluídas outras causas para o aparecimento de tosse crónica (como por exemplo a asma, algumas infecções respiratórias e tumores pulmonares) para que o diagnóstico de bronquite crónica seja firmado.

O enfisema pulmonar está presente quando parte dos alvéolos pulmonares (diminutos sacos de ar, onde terminam os brônquios e onde ocorre a absorção de oxigénio) são destruídos, ficando muitos dos restantes com o seu funcionamento alterado.

Na DPOC ocorre uma obstrução ao fluxo normal de ar através dos brônquios.

Esta limitação à passagem do ar não é completamente reversível e, geralmente, vai progredindo com o passar dos anos. Por esse motivo se afirma que a DPOC é uma doença progressiva. No geral, a DPOC desenvolve-se após vários anos de tabagismo, durante os quais o fumo de cigarro, que contém irritantes que inflamam as vias respiratórias, causa alterações que podem conduzir ao aparecimento de danos nas vias aéreas. Estes danos podem ser permanentes.

Como referido anteriormente, os sintomas principais da DPOC são: tosse, pieira, produção de expectoração e sensação de falta de ar. Em muitos pacientes, com a progressão da doença, desenvolve-se uma limitação gradual em relação ao exercício, que pode levar a importantes limitações nas actividades diárias. Os doentes com DPOC apresentam uma tendência acrescida para o desenvolvimento de infecções respiratórias e, geralmente, quando isto acontece, a expectoração torna-se esverdeada ou amarelada e a falta de ar tem tendência a piorar.

O diagnóstico de DPOC é habitualmente baseado nas alterações observadas no exame físico do doente, na sua história clínica e nos resultados de um exame simples de avaliação da função respiratória, chamado espirometria.

Para prevenir o aparecimento da DPOC, a primeira coisa a fazer é parar de fumar. Nas pessoas a quem é feito o diagnóstico da DPOC pode estar indicada a realização de tratamento, o que poderá traduzir-se numa grande melhoria dos sintomas relacionados com a doença.