Home > Asma

Asma e dieta mediterrânica – o que comer para controlar a doença?

A adopção de uma dieta de estilo mediterrânico está associada a uma redução em cerca de 80% do risco de os asmáticos terem a doença mal controlada.

 | fonte: Interscience

Asma e dieta mediterrânica – o que comer para controlar a doença?

Longe vai o tempo em que a única relação percebida entre asma e alimentação tinha que ver com a evicção dos alergéneos alimentares. Estudos têm vindo a indicar que certos alimentos têm um efeito protector relativamente à asma e alergias, prevenindo o seu aparecimento nas crianças e contribuindo para o controlo da sintomatologia nos adultos. Por isso, esteja atento aos seus hábitos alimentares, porque o que come pode influenciar o modo como respira.


Investigadores portugueses demonstram que dieta mediterrânica ajuda a controlar a asma


Um grupo de investigadores portugueses publicou no passado mês de Julho um estudo, na reputada revista científica Allergy, que concluiu que a adopção de uma dieta de estilo mediterrânico está associada a uma redução em cerca de 80% do risco de os asmáticos terem a doença mal controlada.

A equipa multidisciplinar, composta por cientistas das Faculdades de Medicina e de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto e do Serviço de Imunoalergologia do Hospital S. João, considerou mesmo que a dieta mediterrânica é um “cocktail de componentes potencialmente protectores na asma”.

Estudos anteriores tinham demonstrado que este tipo de dieta previne o aparecimento de asma e rinite alérgica nas crianças, mas desconhecia-se, até agora, o impacto que a adopção deste padrão alimentar teria nos adultos. Foi neste ponto que a equipa de investigação se focalizou, com o objectivo de perceber os efeitos desta dieta na asma de pacientes adultos.

Os cientistas avaliaram a ingestão alimentar, a actividade física, o índice de massa corporal e parâmetros de inflamação (óxido nítrico exalado - FENO), função respiratória e sintomas da asma, em 174 adultos com asma, com uma média de idades de 40 anos. Os resultados permitiram concluir que os asmáticos que tinham a doença controlada (apenas 23%!) ingeriam maiores quantidades de fruta fresca e menores quantidades de álcool. A adopção de um estilo de alimentação mediterrânico estava associada a uma redução de 78% do risco de ter a doença não controlada, independentemente de outros factores como o género, a idade, a escolaridade, a ingestão calórica total ou a toma de medicação inalada.

A ingestão de fruta foi um dos factores com maior destaque na melhoria do controlo da asma, dado que os investigadores do Porto verificaram que uma ingestão diária de fruta fresca superior a 300g estava associada a uma diminuição de 71% do risco de ter asma não controlada.

De destacar ainda o consumo de frutos secos associado a uma melhor função respiratória, e o consumo elevado de etanol a triplicar a probabilidade de ter asma não controlada.


Mas afinal, em que consiste a dieta mediterrânica?


A tradicional dieta da bacia do Mediterrâneo é conhecida por possuir propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que promovem um melhor controlo de várias doenças crónicas. A comunidade científica acredita que é a acção integrada dos vários nutrientes presentes na dieta mediterrânica que é benéfica para a saúde.

Este tipo de dieta caracteriza-se pelo elevado consumo de:
  • Hortofrutícolas
  • Leguminosas
  • Cereais inteiros
  • Frutos secos
  • Azeite
  • Peixe fresco

Pelo consumo moderado de:
  • Lacticínios
  • Álcool

Pelo consumo reduzido de:
  • Carnes vermelhas
  • Produtos processados

Mais do que uma dieta, um estilo de vida…


Para além da adopção de um padrão alimentar saudável, também a prática de exercício e o controlo do peso têm um efeito positivo na saúde dos asmáticos. E atenção: para além da adopção deste tipo de dieta, poderá importar também a origem dos produtos, ou, pelo menos, a forma como foram produzidos ou cultivados. Assim, sempre que possível, opte por produtos biológicos (já pensou em cultivar uma pequena horta em casa?) e alimentos frescos.